22
abr
05

“Síndrome de Doraemon” vai tirar Chaves do ar! (2005)

( Post em rede com “SodTV!” – http://sodtv.blogspot.com )
Como webmaster do site “Tinha que ser o Chaves”, é lógico que fiquei preocupado com a notícia publicada na coluna de Daniel Castro, na Folha de São Paulo, de 22 de abril de 2005.
Chaves e Chapolin, as séries mexicanas com episódios gravados entre 1971 e 1979, e que batiam recordes de longevidade, parece que estão agonizando no SBT – e o que é pior, ao contrário de outras épocas, quando se achava que outras emissoras estavam de olho nas séries, (a Record parece que já tentou comprar Chaves, a Globo elogia a série em seus veículos impressos) parece que elas partirão do SBT para o mais completo limbo.

(Não sei se vai ser mais fácil assistir ao “Show das Eleições” que a Globo fez em 1982 e diz que não tem mais no arquivo, onde ela disse que Brizola perdeu em primeiro lugar, do que Chaves e Chapolin, agora…)

Por serem latino-americanas e em videotape, elas também fogem do padrão da TV por assinatura, de canais como Retrô, Boomerang, Discovery Kids e até mesmo a TV Rá-Tim-Bum, esta mais aberta ao VT e a séries não-estadunidenses do que as outras.
(Se você não entendeu, séries de TV como “Bonanza”, “Duro na Queda”, etc. eram gravadas em película, como se fosse cinema. Chaves foi a segunda dublagem no Brasil a ser feita a partir de
vídeo, a primeira foi a primeira novela mexicana a ser exibida no Brasil, “Os Ricos Também Choram”.)

Chapolin já estava fora do ar. Chaves saiu durante alguns meses, mas agora parece que a batata de Chaves assou. É que a Televisa, a emissora que produziu a série, estaria cobrando muito caro por ela agora, um valor que o SBT discorda. O que eu chamo de “Síndrome de Doraemon”.

Segundo o site JBox.tk, Doraemon é uma série de desenhos animados feita no Japão que tem praticamente a mesma idade de “Chaves” – com uma diferença, ela existe até hoje. E, assim como Chaves (comparação minha, não do JBox), conquista o público com histórias simples, divertidas e engraçadas, sem tramas intrincadas (ouviram, Walcyr Carrasco e João Kleber?)
Algumas emissoras já tentaram trazer Doraemon para o Brasil, mas não conseguiram porquê esbarraram no preço. É que há uma singela diferença quando se fala de “desenho animado”: no ocidente, ele é uma mera animação. Já no oriente, além disso, ele pode ser sitcom e até mesmo cinema. Enfim, Doraemon é tratado pelos detentores de seus direitos como uma série de verdade – tese com a qual os executivos brasileiros não concordam. E fica por aí, eles lá, e nós aqui.

A mesma coisa está acontecendo com “Chaves”, que até foi tratado como “uma série de verdade” em 2003, quando Sônia Abrão estava no SBT, com o Falando Francamente – até conseguindo trazer um ator do elenco (Edgar Vivar, o Sr. Barriga) para o Brasil.
Mas ao mudar de emissora, para a Record, cujos telejornais costumam sofrer com as estripolias do moleque mexicano, ela nunca mais tocou no assunto – afinal, a Record/Universal e o SBT se odeiam a ponto de fazer as torcidas de Boca e River parecerem se amar.

E Chaves voltou a ser “o tapa-buraco do SBT” – tanto é que voltou no lugar do extinto programa de fofocas “Cor-de-Rosa”. E infelizmente assim permaneceu até hoje.

Os fãs CH são os mais azarados de todos os fãs de séries de TV que podem existir. Rubens Barrichello é sortudo, perto de nós. Mesmo por quê, não vemos os fãs de Bonanza ou de Star Trek se preocupando com as fitas das séries ficarem amassadas, e com a ameaça delas saírem definitivamente do ar, sem serem exibidas em lugar algum, a não ser no exterior – e preferencialmente em emissoras que não transmitem o seu sinal via Internet. E o que é pior, sem que os astros originais movam uma palha quanto à isso – não sei por quê, os caras acham que o Brasil é muito longe (mais do que a Argentina, que eles vivem visitando) e devem achar o nosso português incompreensível.

E assim vai a vida, de lágrima em lágrima, de Marcelo Rezende em Marcelo Rezende, de Dênnis Munhoz em Dennis Munhoz. E de “Guinness” em “Guinness”.
A partir de julho, João Kleber, invista fundo nas suas séries de humor que você diz que são melhores que o Chaves. Do jeito que o herói mexicano anda, é capaz que pareçam melhores mesmo.

“Esta, pelo menos, é a minha versão.”
[EDIT: Por passar a exibir sitcoms latino-americanas e em videotape, a Nickelodeon poderia exibir as séries CH. O desenho animado do Chaves, produzido a partir de 2006, está sendo exibido pelo Cartoon Network.]

Anúncios

1 Response to ““Síndrome de Doraemon” vai tirar Chaves do ar! (2005)”


  1. 1 Anonymous
    22 de abril de 2005 às 11:45 pm

    Vamos torcer pela “Volta Atrás” do SBT!!! Chaves não pode morrer no Brasil! Vamos fazer um protesto “Queremos Chaves!” Vamos fazê-lo sobreviver!!!!!!!!!!!! I love Chaves, amo el Chavo del Ocho!!!!!!!!!!!!!!

    Pedro Junior


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


VOCÊ CONHECE A FITA VHS “AS GAFES DA GLOBO EM 84”?

Conhece? Tem? Sabe quem tem? Já viu? Clique aqui.

Igor C. Barros Cartoons, o Blog

Feliz 2013! Este é o nosso blog secundário, porquê atendemos atualmente no Tumblr. Só que a compra do Tumblr pelo Yahoo! fez muita gente espontaneamente criar blogs da Wordpress. Seja como for, este blog está semi-de volta, só que diferente, despolitizado, mais maduro, mais velho, mais gordo, com menos cabelos, MAS com os mesmos sonhos:
"Fazer séries de desenho animado em grandes pólos produtores (EUA, Canadá, Japão, Filipinas, México) para que elas, com a máxima qualidade, possam também estar no Brasil, misturando-se às séries que vem do exterior, sem submeter-se aos ditames que regeriam o roteiro de um produto 100% nacional."
"Produzir músicas e/ou podcasts com qualidade equivalente a dos grandes estúdios para download ou streaming na Internet."

A Salt Cover? Desde 2010 ela é composta de mais pessoas além de mim, e atende em www.saltcover.com.br! Está sendo um tanto maltratada pelos nossos trabalhos na vida real, que sustentam o leitinho das crianças, mas está aí, e não morre quem peleia!

Crianças, que dia é hoje? 5:60!

abril 2005
D S T Q Q S S
« mar   maio »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Arquivos Mort… digo, vivos (afinal, estamos na Wordpress)

As últimas do Twitter

Tá com dinheiro sobrando?

Sabe uma coisa que você pode fazer com ele? Doar para o Criança Esperança. Não é piada: pela Internet, você pode doar 24 horas e 365 dias por ano!!! E sem o Aragão te enchendo os pacovás! Duvida? Clique aqui!!

Este blog não é o seu genro, mas é bem visitado

  • 201,744 pessoas nos visitaram e filaram a bóia

ATENÇÃO À DATA DA POSTAGEM

Este blog tem textos escritos desde 2004, e muitos dos links deles ou até mesmo suas informações podem não ser mais válidas.
Eu sei que infelizmente você veio aqui justamente por causa disso, é o Gôógle que é sem noção mesmo. Aproveite que você está aqui, clique no banner lá em cima e veja os posts mais recentes!

Só pra constar, viu

Agora aqui na WP, na página Míusiqui, as músicas que embalaram uma geração, pra você e todo mundo cantar junto! Essas e muitas outras você só ouve na Rádio Salt Cover, mesmo porquê a rádio clandestina da sua quebrada tem um nome a zelar.
Em breve, confira também o nosso perfil no DeviantArt, onde você finalmente vai entender porquê este blog se chama Igor C. Barros Cartoons...

%d blogueiros gostam disto: