18
jun
08

Aêêêê!!! 100 anos de imigração japonesa

Hoje completam-se 100 anos desde que o navio Kasato Maru chegou ao porto de Santos, vindo da cidade de Kobe, Japão. Talvez muitos estejam phartos de ouvir essa história, mas ela é melhor do que a overdose que está por vir aí, com os Jogos Olímpicos, que são em outro país que não esse… Enfim, são 100 anos de imigração japonesa no Brasil. E tem três coisas que eu queria abordar:
1) A quantas estamos? Em 1988, dizia-se que estavam nascendo os yonseis, a quarta geração dos descendentes. Por volta de 1998, já se falava nos goseis (quinta geração). E, pelo meu japonês macarrônico, já devemos estar tendo os nascimentos dos rokuseis por aí…
2) Para muitas pessoas, quando se fala em “países do Extremo Oriente”, logo vem uma singela melodia instrumental em fá sustenido menor na sua cabeça. Rapaz, que música seria essa?… (Se você não entendeu, tomei a Liberdade de executá-la para ustedes.)
3) E uma curiosidade que você não sabe, né? Na década de 90, eu adquiri o dicionário Japonês-Português da editora Massao Ohno, que foi o primeiro do tipo a ser feito no Brasil. Comprei por um certo interesse no idioma, embora eu ainda não saiba o verbo To Be em japonês, e eu descubro que, curiosamente, essa palavra “né”, existe em japonês e tem exatamente a mesma função de question tag que em português!…

Era então o ano de 1982. O primeiro colégio onde estudei era no bairro da Liberdade, e existe até hoje (eu acho), a Escola Adventista Paulistana, ao lado da FMU, hoje dona de metade do bairro. E a galera já estava lá, em peso, jogando o jankempô no intervalo (que eu conheci uns 15 anos antes disso ficar famoso, no jogo do Alex Kidd) e eu me lembro que até chegamos todos a fazer uma brincadeira que tudo o que eu me lembro é que se dizia “cabeça, tronco e membros” em japonês, enquanto tocava-se os mesmos, aí ia cada vez mais rápido e virava uma ginástica das braba.
Muitos anos depois, em 1997, eu fiz cursinho no Etapa, no metrô Ana Rosa, e houve uma vez em que o pessoal da parte da manhã veio de tarde, para fazer um simulado. E era uma multidão. Bem, resumindo, só não me senti mais deslocado no meio daquela galera, por não ser louro ou ruivo. Dava a impressão de que se eu começasse a cantar Kimi Ga Yo Wa (obrigado, Wikipédia, que não existia na época) a galera prosseguiria à plenos pulmões…

E pra completar a festa, confira no site da Turma da Mônica, a estréia em live-action dos personagens Tikara e Everest Vídeo, digo, Keika (finalmente em novos desenhos, pra quem já estava cansado só daquele único que aparecia no site), e o inesperado crossover de Mônica com Hello Kitty! Puts, a Mônica é baixinha mesmo!… Pretendo também abordar este tema no próximo programa da Rádio Salt Cover, que também terá Sylvio Guarujá, não perrcam, ôeee!!

Anúncios

1 Response to “Aêêêê!!! 100 anos de imigração japonesa”


  1. 23 de junho de 2008 às 12:35 am

    Sim, Igor! Já tem rokuseis aqui no Brasil. A revista “Made in Japan” de dois meses atrás, traz este tema, inclusive com um rokusei de 3 anos de idade na capa.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


VOCÊ CONHECE A FITA VHS “AS GAFES DA GLOBO EM 84”?

Conhece? Tem? Sabe quem tem? Já viu? Clique aqui.

Igor C. Barros Cartoons, o Blog

Feliz 2013! Este é o nosso blog secundário, porquê atendemos atualmente no Tumblr. Só que a compra do Tumblr pelo Yahoo! fez muita gente espontaneamente criar blogs da Wordpress. Seja como for, este blog está semi-de volta, só que diferente, despolitizado, mais maduro, mais velho, mais gordo, com menos cabelos, MAS com os mesmos sonhos:
"Fazer séries de desenho animado em grandes pólos produtores (EUA, Canadá, Japão, Filipinas, México) para que elas, com a máxima qualidade, possam também estar no Brasil, misturando-se às séries que vem do exterior, sem submeter-se aos ditames que regeriam o roteiro de um produto 100% nacional."
"Produzir músicas e/ou podcasts com qualidade equivalente a dos grandes estúdios para download ou streaming na Internet."

A Salt Cover? Desde 2010 ela é composta de mais pessoas além de mim, e atende em www.saltcover.com.br! Está sendo um tanto maltratada pelos nossos trabalhos na vida real, que sustentam o leitinho das crianças, mas está aí, e não morre quem peleia!

Crianças, que dia é hoje? 5:60!

junho 2008
D S T Q Q S S
« maio   jul »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

Arquivos Mort… digo, vivos (afinal, estamos na Wordpress)

As últimas do Twitter

Tá com dinheiro sobrando?

Sabe uma coisa que você pode fazer com ele? Doar para o Criança Esperança. Não é piada: pela Internet, você pode doar 24 horas e 365 dias por ano!!! E sem o Aragão te enchendo os pacovás! Duvida? Clique aqui!!

Este blog não é o seu genro, mas é bem visitado

  • 201,744 pessoas nos visitaram e filaram a bóia

ATENÇÃO À DATA DA POSTAGEM

Este blog tem textos escritos desde 2004, e muitos dos links deles ou até mesmo suas informações podem não ser mais válidas.
Eu sei que infelizmente você veio aqui justamente por causa disso, é o Gôógle que é sem noção mesmo. Aproveite que você está aqui, clique no banner lá em cima e veja os posts mais recentes!

Só pra constar, viu

Agora aqui na WP, na página Míusiqui, as músicas que embalaram uma geração, pra você e todo mundo cantar junto! Essas e muitas outras você só ouve na Rádio Salt Cover, mesmo porquê a rádio clandestina da sua quebrada tem um nome a zelar.
Em breve, confira também o nosso perfil no DeviantArt, onde você finalmente vai entender porquê este blog se chama Igor C. Barros Cartoons...

%d blogueiros gostam disto: